"A leitura do mundo precede a leitura da palavra." "Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não leem." "Língua Gosto de sentir a minha língua roçar A língua de Luís de Camões Gosto de ser e de estar E quero me dedicar A criar confusões de prosódias E uma profusão de paródias Que encurtem dores E furtem cores como camaleões Gosto do Pessoa na pessoa Da rosa no Rosa E sei que a poesia está para a prosa Assim como o amor está para a amizade (...)"

sábado, 13 de agosto de 2011

Interpretação Textual

INTERPRETAÇAO DE TEXTO


Leia o texto abaixo e responda às questões 1 a 10:

A ILHA SONHADA

Quando me acontecer alguma pecúnia, passante de um milhão de cruzeiros, compro uma ilha; não muito longe do litoral, que o litoral faz falta; nem tão perto, também, que de lá possa eu aspirar a fumaça e a graxa do porto. Minha ilha (e só de a imaginar já me considero seu habitante) ficará no justo ponto de latitude e longitude, que, pondo-me a coberto de ventos, sereias e pestes, nem me afaste demasiado dos homens nem me obrigue a praticá-los diuturnamente. Porque esta é a ciência e, direi, a arte do bem-viver; uma fuga relativa, e uma não muito estouvada confraternização.

De há muito sonho esta ilha, se é que não a sonhei sempre. Se é que a não sonhamos sempre, inclusive os mais agudos participantes. Objetais-me: “Como podemos amar as ilhas, se buscamos o centro mesmo da ação?” Engajados, vosso engajamento é a vossa ilha, dissimulada e transportável. Por onde fordes, ela irá convosco. Significa a evasão daquilo para que toda alma necessariamente tende, ou seja, a gratuidade dos gestos naturais, o cultivo das formas espontâneas, o gosto de ser um com os bichos, as espécies vegetais, os fenômenos atmosféricos. Substitui, sem anular.

(Carlos Drummond de Andrade)

01) Destaque a seqüência correspondente ao significado das palavras pecúnia (linha 1), estouvada (linha 6) e evasão (linha 10), extraídas do textículo de Drummond:

( ) dinheiro – arrumada – agressivo;
( ) gado – desajeitada – fuga;
( ) gado – arrumada – agressivo;
( ) dinheiro – desajeitada – fuga;

02) A palavra diuturnamente, que aparece no primeiro parágrafo, significa, no texto:

( ) diariamente
( ) soturnamente
( ) prolongadamente
( ) vagarosamente

03) A expressão do texto praticá-los diuturnamente, localizado no primeiro parágrafo, significa:

( ) estar ao lado deles quase todos os dias;
( ) pô-los em prática por largo espaço de tempo;
( ) freqüentá-los por largo espaço de tempo;
( ) freqüentá-los quase diariamente;

04) Segundo o autor, “a ciência” e “a arte de bem viver” consistem em:

( ) fugir da convivência social, sempre detestável;
( ) conviver com os homens por lado espaço de tempo;
( ) fugir da convivência social e de si mesmo;
( ) conviver com os homens com discrição e fraternidade moderada;

05) Para o autor, a melhor maneira de viver é:

( ) evitar totalmente o convívio com seus semelhantes;
( ) conviver com os homens com certa reserva, sem importuná-los e sem perder a vida interior;
( ) conversar com todos, para obter ocasionais vantagens;
( ) integrar-se totalmente na comunidade;

06) Na frase atribuída ao(s) leitor(es) – “Como podemos amar as ilhas, se buscamos o centro mesmo da ação?” – está contida em:

( ) contradição;
( ) hesitação;
( ) surpresa;
( ) supressão;

07) A expressão “pondo-me a coberto de ventos (...)” situada no primeiro parágrafo, equivale a:

( ) protegendo-me de ventos (...)
( ) pondo-me na direção de ventos (...)
( ) cobrindo o meu refúgio para protegê-los de ventos (...)
( ) constringindo-me de ventos (...)

08) Que significa realmente essa ILHA do texto?

( ) um pequeno trecho de terra cercado de água por todos os lados;
( ) um elemento de auto-afirmação;
( ) um refúgio onde se possa encontrar a tranqüilidade interior resultante do encontro do homem consigo mesmo;
( ) um elemento de fuga a si mesmo;

09) Destaque o item verdadeiro de acordo com a crônica lida:

( ) o autor, em um delírio de grandeza, sonha comprar uma ilha só para ele;
( ) o autor sonha comprar uma ilha onde possa viver ociosamente;
( ) o autor “sonha uma ilha” – refúgio onde possa encontrar a tranqüilidade interior resultante do encontro consigo mesmo;
( ) o autor “sonha uma ilha” para pôr-se um pouco afastado de “ventos, sereias e pestes”.

10) Da leitura do texto, concluí-se que o escritor é:

( ) ativo, empreendedor, amante de grandes realizações;
( ) misantropo, casmurro, inimigo do convívio humano;
( ) rico de vida interior, que admite o convívio discreto e não separado com os seus semelhantes;
( ) alegre, entusiasmado, sempre buscando comunicar-se com os outros.

6 comentários:

  1. seu blog está excelente. atualizado e com informações interessantes. Continue dando toda energia neste seu projeto.

    ResponderExcluir
  2. Adorei a interpretação do texto, porem, gostaria de ter o gabarito das questoes para evitar confusoes.

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu blog. Sou professora do EF e EM e atualmente faço um curso sobre Práticas de leitura em contexto digital. Estamos aprendendo a elaborar um blog para posteriormente usarmos essa ferramenta na aprendizagem dos nossos alunos.
    Parabéns pelo bom gosto na seleção dos textos, no visual, ficou lindo.
    Maria Regina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, professora!
      Este blog foi criado durante um curso chamado Mídias Digitais. Grata pelas palavras.
      Confesso que preciso me dedicar mais a ele.
      Abraços...

      Excluir