"A leitura do mundo precede a leitura da palavra." "Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não leem." "Língua Gosto de sentir a minha língua roçar A língua de Luís de Camões Gosto de ser e de estar E quero me dedicar A criar confusões de prosódias E uma profusão de paródias Que encurtem dores E furtem cores como camaleões Gosto do Pessoa na pessoa Da rosa no Rosa E sei que a poesia está para a prosa Assim como o amor está para a amizade (...)"

sábado, 26 de março de 2011

Carlos Drummond de Andrade

Para Sempre

Por que Deus permite

que as mães vão-se embora?

Mãe não tem limite,

é tempo sem hora,

luz que não apaga

quando sopra o vento

e chuva desaba,

veludo escondido

na pele enrugada,

água pura, ar puro,

puro pensamento.


Morrer acontece

com o que é breve e passa

sem deixar vestígio.

Mãe, na sua graça,

é eternidade.

Por que Deus se lembra

- mistério profundo -

de tirá-la um dia?

Fosse eu Rei do Mundo,

baixava uma lei:

Mãe não morre nunca,

mãe ficará sempre

junto de seu filho

e ele, velho embora,

será pequenino

feito grão de milho.

quarta-feira, 23 de março de 2011

PENSAR É TRANSGREDIR



Não lembro em que momento percebi que viver deveria ser uma permanente reinvenção de nós mesmos — para não morrermos soterrados na poeira da banalidade embora pareça que ainda estamos vivos.

Mas compreendi, num lampejo: então é isso, então é assim. Apesar dos medos, convém não ser demais fútil nem demais acomodada. Algumas vezes é preciso pegar o touro pelos chifres, mergulhar para depois ver o que acontece: porque a vida não tem de ser sorvida como uma taça que se esvazia, mas como o jarro que se renova a cada gole bebido.

Para reinventar-se é preciso pensar: isso aprendi muito cedo.

Apalpar, no nevoeiro de quem somos, algo que pareça uma essência: isso, mais ou menos, sou eu. Isso é o que eu queria ser, acredito ser, quero me tornar ou já fui. Muita inquietação por baixo das águas do cotidiano. Mais cômodo seria ficar com o travesseiro sobre a cabeça e adotar o lema reconfortante: "Parar pra pensar, nem pensar!"

Lya Luft

segunda-feira, 14 de março de 2011

Barack Obama no Brasil: Visita terá acordos sociais e comerciais


Nos próximos dias 19 e 20 de março, o presidente dos Estados Unidos, Barack Hussein Obama, visitará o Brasil pela primeira vez desde que assumiu o posto em 2009. Obama, que virá acompanhado de sua família, terá uma agenda protocolar com a presidente Dilma Rousseff, em Brasília, e visitará uma favela no Rio de Janeiro. Além do Brasil, o presidente dos EUA segue também para o Chile (22) e El Salvador (23), nessa que é também a sua primeira visita à América Latina.

No Rio, a expectativa é que Obama visite a favela Chapéu Mangueira e Babilônia. A escolha dessa localidade deve ocorrer por um desejo de Obama conhecer essa comunidade. Nesse morro, foi gravado, em 1959, o filme O Orfeu Negro, uma co-produção franco-brasileira dirigida por Marcel Camus a partir de um roteiro do poeta e cantor Vinícius de Morais, um dos inventores da Bossa Nova. O filme teria sido apresentado a Obama por sua mãe, quando ele era jovem o que o fez tê-lo citado em sua autobiografia.

A comunidade Chapéu Mangueira é também uma das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP), zonas administradas pelo poder público após a expulsão de traficantes de drogas que controlavam a localidade e pretende ser uma "resposta" à comunidade internacional, fruto da pressão por melhorias na segurança pública durante a realização da Copa do Mundo, em 2014, e dos Jogos Olímpicos, em 2016. Segundo informações da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, no dia 20 de março, durante a visita ao Rio, o presidente falará para público em atividade aberta, ainda sem definição de local e horário.

Além de fechar acordos comerciais e ter encontros com empresários, a visita do primeiro presidente negro americano pretende consolidar a sua imagem positiva no maior país da América Latina, que é também uma das mais promissoras nações emergentes do mundo e a maior diáspora africana das Américas. Segundo pesquisa realizada entre dezembro de 2010 e janeiro de 2011, pelo Serviço Mundial da BBC, 64% dos brasileiros consideram positivo a imagem dos Estados Unidos, índice nove pontos percentuais maior do que na pesquisa anterior. Essa melhoria na imagem deve-se ao chamado "efeito Obama", já que em 2007, na administração Bush, 54 por cento dos entrevistados tinham uma opinião negativa sobre a nação estadunidense. É claro que a imagem no exterior não reflete necessariamente como os próprios estadunidenses veem o seu presidente que veio perdendo sua popularidade desde a histórica eleição, em 2008, devido a crise financeira que assola o país.

Obama, além de ser o primeiro presidente negro da história, chamou atenção à época da sua eleição pela sua idade, por sua oratória e histórico multicultural. O presidente dos EUA nasceu no distante Havaí, fruto uma relação interracial, de seu pai negro do Quênia e sua mãe branca do Kansas. Obama foi criado na Indonésia, a mais populosa nação islâmica do mundo e foi o primeiro negro a editar a prestigiada revista Harvard Law Review na Universidade de Havard. Barack Obama recebeu, em 2009, o Prêmio Nobel da Paz.


http://correionago.ning.com/profiles/blog/show?id=4512587:BlogPost:64105&xgs=1&xg_source=msg_share_post

sábado, 12 de março de 2011


"O respeito mútuo, um respeito sem fingimentos e sem rotinas, um respeito bem intencionado, que todos os dias se ilumina de argumentos novos e todos os dias se sente pequeno diante da sua aspiração, poderá servir de base, dentro da obra educacional, a um movimento de resultados eficientes, no problema urgentíssimo da salvação do mundo pela garantia unânime da paz."

Cecília Meireles (1901-1964), poetisa

Texto extraído do livro Cecília Meireles: Coleção Melhores Crônicas, Global Editora

Seiscentos e sessenta e seis

A vida é uns deveres que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são 6 horas: há tempo...
Quando se vê, já é 6ª feira...
Quando se vê, passaram 60 anos...
Agora, é tarde demais para ser reprovado...
E se me dessem - um dia - uma outra oportunidade,
eu nem olhava o relógio
seguia sempre, sempre em frente...

E iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas.

Mário Quintana

segunda-feira, 7 de março de 2011

Mulher...


Que traz beleza e luz aos dias mais difíceis
Que divide sua alma em duas
Para carregar tamanha sensibilidade e força
Que ganha o mundo com sua coragem
Que traz paixão no olhar
Mulher,
Que luta pelos seus ideais,
Que dá a vida pela sua família
Mulher
Que ama incondicionalmente
Que se arruma, se perfuma
Que vence o cansaço
Mulher,
Que chora e que ri
Mulher que sonha...
Tantas Mulheres, belezas únicas, vivas,
Cheias de mistérios e encanto!
Mulheres que deveriam ser lembradas,
amadas, admiradas todos os dias...

Para você, Mulher tão especial...

Feliz Dia Internacional da Mulher!

Máscaras de Carnaval!!!




Máscara carnaval

Máscara carnaval
Máscara carnaval

A História do Carnaval




O carnaval é considerado uma das festas populares mais animadas e representativas do mundo. Tem sua origem no entrudo português, onde, no passado, as pessoas jogavam uma nas outras, água, ovos e farinha. O entrudo acontecia num período anterior a quaresma e, portanto, tinha um significado ligado à liberdade. Este sentido permanece até os dias de hoje no Carnaval

O entrudo chegou ao Brasil por volta do século XVII e foi influenciado pelas festas carnavalescas que aconteciam na Europa. Em países como Itália e França, o carnaval ocorria em formas de desfiles urbanos, onde os carnavalescos usavam máscaras e fantasias. Personagens como a colombina, o pierrô e o Rei Momo também foram incorporados ao carnaval brasileiro, embora sejam de origem européia.

No Brasil, no final do século XIX, começam a aparecer os primeiros blocos carnavalescos, cordões e os famosos "corsos". Estes últimos, tornaram-se mais populares no começo dos séculos XX. As pessoas se fantasiavam, decoravam seus carros e, em grupos, desfilavam pelas ruas das cidades. Está ai a origem dos carros alegóricos, típicos das escolas de samba atuais.

No século XX, o carnaval foi crescendo e tornando-se cada vez mais uma festa popular. Esse crescimento ocorreu com a ajuda das marchinhas carnavalescas. As músicas deixavam o carnaval cada vez mais animado.

A primeira escola de samba surgiu no Rio de Janeiro e chamava-se Deixa Falar. Foi criada pelo sambista carioca chamado Ismael Silva. Anos mais tarde a Deixa Falar transformou-se na escola de samba Estácio de Sá. A partir dai o carnaval de rua começa a ganhar um novo formato. Começam a surgir novas escolas de samba no Rio de Janeiro e em São Paulo. Organizadas em Ligas de Escolas de Samba, começam os primeiros campeonatos para verificar qual escola de samba era mais bonita e animada.

O carnaval de rua manteve suas tradições originais na região Nordeste do Brasil. Em cidades como Recife e Olinda, as pessoas saem as ruas durante o carnaval no ritmo do frevo e do maracatu.

Os desfiles de bonecos gigantes, em Recife, são uma das principais atrações desta cidade durante o carnaval.

Na cidade de Salvador, existem os trios elétricos, embalados por músicas dançantes de cantores e grupos típicos da região. Na cidade destacam-se também os blocos negros como o Olodum e o Ileyaê, além dos blocos de rua e do Afoxé Filhos de Gandhi.

Origem do Carnaval!!


O Carnaval brasileiro é originário do entrudo português, um conjunto de brincadeiras de rua em que as pessoas atiram água, farinha, ovos podres umas nas outras. Essa festa acontecia na época anterior à Quaresma.

Trazido para o Brasil no século XVII, o entrudo sofreu influências dos carnavais de países europeus, como Itália e França, a partir do século XIX. Foi quando as máscaras, as fantasias e os personagens, como o pierrô, a colombina e o Rei Momo, entraram para a festa brasileira. Nesta época surgem, também, os primeiros blocos, cordões- desfiles de carros alegóricos. A partir daí, a festa vai ganhando força e chega praticamente todas as regiões brasileiras. Ano após ano, o repertório musical que embala a folia vai aumentando, ganhando novas cantigas e ritmos, como as famosas marchinhas.

Em 1928, no Rio de janeiro, sai a primeira escola de samba, chamada Deixa Falar, criada pelo sambista Ismael Silva. Do Rio esse modelo de desfile se espalha para outras cidades.

A tradição do Carnaval de rua, onde todos podem participar, não desaparece. Ela permanece forte no Nordeste, onde se destacam o frevo e o maracatu. Em Salvador, há trios elétricos e blocos de rua.