"A leitura do mundo precede a leitura da palavra." "Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não leem." "Língua Gosto de sentir a minha língua roçar A língua de Luís de Camões Gosto de ser e de estar E quero me dedicar A criar confusões de prosódias E uma profusão de paródias Que encurtem dores E furtem cores como camaleões Gosto do Pessoa na pessoa Da rosa no Rosa E sei que a poesia está para a prosa Assim como o amor está para a amizade (...)"

sábado, 12 de novembro de 2011

Conversa de botequim
Vadico e Noel Rosa
Seu garçom faça o favor
De me trazer depressa
Uma boa média que não seja requentada,
Um pão bem quente com manteiga à beça,
Um guardanapo
E um copo d`água bem gelada
Fecha a porta da direita
Com muito cuidado
Que eu não estou disposto
A ficar exposto ao sol
Vá perguntar ao seu freguês do lado
Qual foi o resultado do futebol

Se você ficar limpando a mesa,
Não me levanto nem pago a despesa
Vá pedir ao seu patrão
Uma caneta, um tinteiro,
Um envelope e um cartão
Não se esqueça de me dar palitos
E um cigarro pra espantar mosquitos
Vá dizer ao charuteiro
Que me empreste umas revistas
Um isqueiro e um cinzeiro

Telefone ao menos uma vez
Para 34-4333
E ordene ao seu Osório
Que me mande um guarda-chuva
Aqui pro nosso escritório
Seu garçom me empreste algum dinheiro
Que eu deixei o meu com o bicheiro,
Vá dizer ao seu gerente
Que pendure essa despesa
No cabide ali em frente


1) Logo no primeiro verso, por meio do uso de um vocativo, fica claro quem fala e quem escuta nessa “conversa”.
a) A quem a personagem que fala na canção se dirige?
b) Quem é a personagem que fala?

2)     Observe como o tamanho dos versos desta canção varia muito. Pensando também no título, como você explicaria esse fato?

3)     No entanto, para realizar-se como canção, a letra e a melodia devem manter ainda alguma regularidade. Assinale as rimas da canção.

4)     Em que modo estão os verbos usados pela personagem para se dirigir ao garçom? Por quê?

5)     Na primeira estrofe, o “cliente” faz ao garçom uma série de pedidos.
a)     O que ele pede?
b)     Esses pedidos são adequados à situação?

6)     Na segunda estrofe outros pedidos são feitos.
a)     Quais são eles?
b)     Esses pedidos são adequados à situação?

7)     Na última estrofe, o “cliente” parece passar dos limites.
a)     O que ele pede ao garçom?
b)     Explique por que esses pedidos excedem o que se espera que um cliente peça a um garçom.
c)     Como o botequim é chamado pelo cliente?
d)     O que esse cliente vai fazer no botequim?

8)     Por ser o fragmento de um diálogo, “Conversa de botequim” reforça a coloquialidade própria do gênero canção. Você concorda com essa afirmação? Justifique sua resposta.

Gabarito:

1)     Logo no primeiro verso, por meio do uso de um vocativo, fica claro quem fala e quem escuta nessa “conversa”.
a.      A quem a personagem que fala na canção se dirige? Ao garçom.
b.      Quem é a personagem que fala? O cliente de um bar ou botequim.

2)     Observe como o tamanho dos versos desta canção varia muito. Pensando também no título, como você explicaria esse fato? A canção imita a fluidez e a coloquialidade da fala.

3)     No entanto, para realizar-se como canção, a letra e a melodia devem manter ainda alguma regularidade. Assinale as rimas da canção.

4)     Em que modo estão os verbos usados pela personagem para se dirigir ao garçom? Por quê?
Os verbos estão no imperativo. Eles definem o tipo de relação que se estabelece entre as personagens da canção.

5)     Na primeira estrofe, o “cliente” faz ao garçom uma série de pedidos.
a.      O que ele pede?
Um média (xícara de café com leite), um pão quente com manteiga, um guardanapo e uma gelada.

b.      Esses pedidos são adequados à situação?
Sim, pois são pedidos de um cliente a um garçom de botequim.

6)     Na segunda estrofe outros pedidos são feitos.
a.      Quais são eles?
Para que o garçom não limpe a mesa e para que traga uma caneta, um tinteiro, um envelope um cartão, palitos, cigarro, revistas, isqueiro e cinzeiro.
b.      Esses pedidos são adequados à situação?
Não são mais pedidos apropriados a um botequim, pois incluem itens encontrados na tabacaria ou na papelaria.

7)     Na última estrofe, o “cliente” parece passar dos limites.
a.      O que ele pede ao garçom?
Pede para que o garçom ligue para um número e ordene a um tal de Osório que mande um guarda-chuva; pede dinheiro emprestado e pede para que o gerente “pendure” a conta.
b.      Explique por que esses pedidos excedem o que se espera que um cliente peça a um garçom.
Os pedidos da última estrofe são inusitados, o que ajuda a produzir o humor na canção. Eles imitam uma relação de patrão com empregado, ou de pessoa muito “espaçosa”, em ambiente familiar.
c.      Como o botequim é chamado pelo cliente?
Nosso escritório.
d.      O que esse cliente vai fazer no botequim?
Provavelmente, ele é um poeta, um sambista que vai ao botequim para compor suas canções.

FRASE, ORAÇÃO E PERÍODO

Exercícios

1) Leia as frases seguintes e identifique quais delas são nominais e quais são frases verbas ( orações ).

a) Que mar maravilhoso !          Frase nominal

b) As penas flutuam no ar.         Frase verbal

c) Um vôo espetacular!                           Frase nominal

d) O deus Posídon usou seus poderes mágicos.     Frase verbal

2) Relacione as colunas para rever os tipos de frases.

(  a  ) Saia agora mesmo !                                               (  e  ) declarativa afirmativa

(  b  ) Você quer ir ao teatro ?                                       (  c  ) declarativa negativa

(  c  ) Não poderei acompanhá-lo.                               (  d  ) exclamativa

(  d  ) Como estou satisfeito com o meu presente ! (  f  ) interrogativa negativa

(  e  ) Gosto muito de vocês.                                          (  b  ) interrogativa

(  f  ) Você não participou da gincana ?                      (  a  ) imperativa

3) Escreva nos parênteses  OS para Período Simples e  PC para Período Composto. Observe os verbos e as locuções verbais destacados.

(  PS  ) O carro velho do vovô subia lentamente a ladeira íngreme.

(  PC  ) Não consegui montar o quebra-cabeça, pois faltavam peças.

(  PC  ) O guia da excursão explicava com detalhes as atrações turísticas,

            Para que todos aproveitassem bem a viagem.

(  PS  ) Os novos celulares oferecem aos consumidores muitas vantagens.

4) Classifique os períodos seguintes em simples e composto.

a) No fundo do mar, o temível Posídon fica furioso.!

      Período simples

 b) “Assim fala Minos, diante do altar que ergueu na praia.”

      Período composto

c) “Com nossas asas, atravessaremos o mar e encontraremos refúgio em alguma parte.”

      Período Composto

 d) “Os dois homens imediatamente se inclinam diante do novo rei da grande ilha.”

     Período simples

 e) “Não sabes como é lindo uma mulher que chora.”

        Período Composto

 f) “Tudo no mundo é loucura, exceto a alegria.”

     Período simples

 g) “O homem apaixonado ama na mulher o que ela não possui.”

     Período Composto

 h) “Todos os pecados mortais têm o seu quê útil e honesto.”

     Período simples

 i) Quem está amando menos, já não ama.”

   Período Composto

5) Os pares de período simples apresentados abaixo mantêm uma relação de sentido entre si. Transforme-os em um período composto. Para isso, empregue termos de ligação como :  e,  mas,  por isso,  pois. Veja um exemplo.

            Ele ficou Feliz.  Sua invenção era um sucesso.

                           2 Períodos Simples

           Ele ficou feliz, pois sua invenção era um sucesso.

                           1 Período Composto

a) Não gostei desse lugar. Vou embora.

     Não gostei desse lugar, por isso vou embora.

 b) Ela foi rapidamente para o aeroporto. Não chegou a tempo.

      Ela foi rapidamente para o aeroporto, mas não chegou a tempo.

 c) Mudou-se para outro país. Recebeu uma proposta irrecusável.

     Mudou-se para outro país, pois recebeu uma proposta irrecusável.

 d) Viajo de carro uma vez por ano.  Viajo de avião três vezes ao ano.

     Viajo de carro uma vez por ano e de avião três vezes ao ano.


Natal


Porque o pinheiro é a árvore de Natal

Quando Jesus nasceu, bem próximo do presépio estavam 3 árvores: uma palmeira, uma oliveira e um pinheiro.


Nesta época não só os animais falavam como as plantas também, ainda que os Homens não compreendessem as suas linguagens.

Estavam as três árvores conversando sobre os presentes que dariam ao Menino Jesus quando a palmeira disse:

- Eu darei a minha palma mais viçosa para que a sua Mãe O proteja do sol forte!

A oliveira que estava carregada de frutos - as azeitonas - respondeu:

-E eu oferecerei os meus frutos e o meu azeite para a Criancinha!

Voltaram-se as duas para o pinheirinho e perguntaram-lhe:

- E tu? O que irás oferecer?

O pinheirinho muito quieto pensava no que teria de especial para ofertar ao Menino, quando a palmeira dirigiu-se a ele dizendo:

- As tuas folhas são pontiagudas e podem ferir a Criança!

A oliveira por sua vez disse:

- E os teus frutos? São secos e duros...

E disseram em conjunto:

- Que pena! Não tens nada tem de especial para oferecer...

O pinheiro então ficou muito triste e silencioso.

"É verdade, pensou. Todos trouxeram presentes para esta Criança: os pastores -lã, leite e até um pequeno carneirinho! Os reis – ouro, incenso e mirra! Até a palmeira e a oliveira puderam oferecer algo de si, só eu não tenho como alegrar a Criancinha...
Neste momento, as estrelas que cintilavam lá no alto do céu e que haviam escutado toda a conversa entre as árvores começaram a descer bem devagarzinho e foram pousando delicadamente nos ramos verdes do pinheiro que se foi iluminando e ficando cada vez mais bonito.

Todos se admiraram, e se voltaram para ele, e lá da manjedoura os olhinhos do Menino Jesus encheram – se de brilho e alegria.

E foi assim que o singelo pinheiro se tornou a árvore do Natal, e todos os anos, nesta época, as pessoas enfeitam-no e enchem-no de luzes.
Lenda


ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS

EDITORIAL

A MISÉRIA É DE TODOS NÓS

Como entender a resistência da miséria no Brasil, uma chaga social que remonta aos primórdios da colonização? No decorrer das últimas décadas, enquanto a miséria se mantinha mais ou menos do mesmo tamanho, todos os indicadores sociais brasileiros melhoraram. Há mais crianças em idade escolar freqüentando aulas atualmente do que em qualquer outro período da nossa história. As taxas de analfabetismo e mortalidade infantil também são as menores desde que se passou a registrá-las nacionalmente. O Brasil figura entre as dez nações de economia mais forte do mundo. No campo diplomático, começa a exercitar seus músculos. Vem firmando uma positiva liderança política regional na América Latina, ao mesmo tempo em que atrai a simpatia do Terceiro Mundo por ter se tornado um forte oponente das injustas políticas de comércio dos países ricos.
Apesar de todos esses avanços, a miséria resiste.
Embora em algumas de suas ocorrências, especialmente na zona rural, esteja confinada a bolsões invisíveis aos olhos dos brasileiros mais bem posicionados na escala social, a miséria é onipresente. Nas grandes cidades, com aterrorizante freqüência, ela atravessa o fosso social profundo e se manifesta de forma violenta. A mais assustadora dessas manifestações é a criminalidade, que, se não tem na pobreza sua única causa, certamente em razão dela se tornou mais disseminada e cruel. Explicar a resistência da pobreza extrema entre milhões de habitantes não é uma empreitada simples.

José Carlos Marques, diretor editorial. Veja, ed. 1735. 22/10/2008. Ano 31.
Vocabulário:
Chaga ferida aberta
Onipresente - Que está ao mesmo tempo em toda a parte

1- Marque a opção que JUSTIFIQUE o título dado ao texto: “A miséria é de todos nós”.

a) A miséria abrange grande parte de nossa população.
b) A miséria é culpa da classe dominada.

c) Todos os governantes colaboraram para a miséria comum.
d) A miséria deve ser preocupação de todos nós.

 RESPOSTA: D

Releia a primeira pergunta:

“Como entender a resistência da miséria no Brasil, uma chaga social que remonta aos primórdios da colonização?”
2- Sobre esse questionamento pode-se AFIRMAR que

a) tem sua resposta dada no último parágrafo.
b) representa o tema central de todo o texto.
c) é só uma motivação para a leitura do texto.
d) é uma pergunta vazia, à qual não cabe resposta.

RESPOSTA: B

3- Após a leitura do texto, só NÃO se pode AFIRMAR que a miséria no Brasil

a) é culpa dos governos recentes, apesar de seu trabalho produtivo em outras áreas.

b) tem manifestações violentas, como a criminalidade nas grandes cidades.

c) atinge milhões de habitantes, embora alguns deles não apareçam para a classe dominante.

d) tem razões históricas e se mantém em níveis estáveis nas últimas décadas.

RESPOSTA: A

4- Releia o trecho: “No campo diplomático, começa a exercitar seus músculos”.
Com essa oração, o autor AFIRMA que o Brasil

a) já está suficientemente forte para começar a exercer sua liderança na América Latina.


b) já mostra que é mais forte que seus países vizinhos.


c) está iniciando seu trabalho diplomático a fim de marcar presença no cenário exterior.


d) pretende mostrar ao mundo e aos países vizinhos que já é suficientemente forte para tornar-se líder.


RESPOSTA: C


5- Assinale a alternativa em que essa equivalência de sentido, segundo o texto 1, é feita de forma INCORRETA.


a) não é uma preocupação geral = é uma preocupação superficial.


b) não é uma pessoa apática = é uma pessoa dinâmica.


c) não é uma questão vital = é uma questão sem importância.


d) não é um problema universal = é um problema particular.


RESPOSTA: A


Releia os trechos a seguir:
“Apesar de todos esses avanços, a miséria resiste.”

“Embora em algumas de suas ocorrências, especialmente na zona rural, esteja confinada a bolsões invisíveis aos olhos dos brasileiros mais bem posicionados na escala social, a miséria é onipresente”.
6- Assinale a alternativa que identifica CORRETAMENTE a relação estabelecida pelos conectores entre as orações dos enunciados acima.
a) Concessiva e condicional.
b) Explicativa e concessiva.
c) Concessiva e concessiva.
d) Conformativa e concessiva.
RESPOSTA: C
7-  Foi empregada uma figura de construção na frase frase abaixo pela omissão de uma expressão:

”Francisco era apaixonado pelo canto, e eu, pela dança. “

Assinale a alternativa que apresenta o nome dessa figura de construção e a expressão que foi omitida:

a)      Catacrese / dança

b)      Elipse / era apaixonado

c)       Catacrese / apaixonado

d)      Elipse / era

ADJUNTO ADNOMINAL X ADJUNTO ADVERBIAL

EXERCÍCIO

1) Verifique se a expressão sublinhada é Adjunto Adnominal ( = locução adjetiva) ou Adjunto Adverbial ( = locução adverbial )

a) O café com leite está na xícara.

     Adjunto adnominal  /  adjunto adverbial

b) As flores do jardim     perfumam o ar  durante a noite.

    Adjunto adnominal  /  adjunto adverbial

c) Caiu  no chão  o livro  de gravuras.

    Adjunto adverbial  /  adjunto adnominal

d) O barco  de turistas  navega  em alto mar.

     Adjunto adnominal  /  adjunto adverbial

2) Sublinhe ao Adjuntos Adnominais:

a) A  beleza  exterior se engrandece quando há beleza interior.

b) De nada adianta  um  bom  conselho  acompanhado do  mau exemplo.

c) Há pessoas simpáticas,  atraentes,  apesar de  seus  defeitos,  assim como há pessoas  antipáticas,  repulsivas,  apesar de  seus  méritos.

3) Sublinhe os pronomes possessivos que exercem a função de Adjunto Adnominal.

a) Chico conversava com  seu  gatinho como se fosse uma pessoa.

b) Minha  mãe é compreensiva.

c) Os animais eram seus amigos.

d) Nossa classe fica no primeiro andar.

e) Com seu apoio,  nossa vida melhorou muito.

f) Meus pais são exigentes.

4) Sublinhe os pronomes demonstrativos que exercem a função de Adjunto Adnominal.
a) Aquele cachorro late, este não.

b) Quem pode trabalhar com  este calor ?

c) Que menina é esta que não liga para seus  pais ?

d) Esta fruta é doce, porém aquela é azeda demais.

e) Este   carro é mais veloz, que aquele.

f) O que você fez com  aqueles  livros que lhe emprestei ?

5) Sublinhe os pronomes indefinidos que exercem a função de Adjunto Adnominal.

a)  - Onde você encontrou isso ?

     - Em  algum lugar.

b) Nenhum  aluno conseguiu nota dez.

c) Trabalhamos muito, porém ganhamos  pouco  dinheiro.

d) De que serve  tanto dinheiro sem saúde ?

e) Todo homem é mortal.

6) Copie as frases, acrescentando os  Adjuntos Adverbiais indicados. Veja o exemplo:
                   barato  -  caro

                   Compra e vende.

                   Compra barato e vende caro.

a) cedo  -  tarde

    Saí e cheguei.

    Saí cedo e cheguei tarde.

b) jamais  -  não

    Faria aquilo, se você me apoiasse.

    Jamais faria aquilo, se você não me apoiasse.

c) certamente  - 

    Você ouviu falar neste assunto.

    Certamente você já ouviu falar neste assunto.

d) muito  -  bastante

     A casa era bonita, mas o jardim estava abandonado.

     A casa era muito bonita, mas o jardim estava bastante abandonado.

e) porventura  -  nunca

     Você chegou atrasado ?

     Porventura você nunca chegou atrasado ?

f) não  - depressa

    Coma, menino !

    Não coma depressa, menino !

7) Assinale a alternativa correta de acordo com a classificação dos adjuntos adverbiais destacados:
a) Pense  mais um pouco.

    (  X  ) intensidade              (    )  modo          (   ) afirmação

b) Atravessou a rua tranquilamente.

     (    ) tempo                       (   ) lugar             ( X ) modo

c) Talvez passe por aí.

   ( X ) dúvida                         (   )  lugar            (  ) tempo

d) Ele  realmente vacilou.

     (    ) negação                    ( X ) afirmação             (   ) tempo

e) Agora  moramos  no centro.

     ( X ) tempo                       (   ) modo                     ( X ) lugar

f) Bata  na porta antes de entrar.

    (   ) intensidade                 (   ) afirmação                        ( X ) lugar

g) Estou meio  cansado.

    ( X ) intensidade                (   )  lugar                               (  )  modo

h) Esfregou a toalha com força.

    (   ) afirmação                    (  X  ) modo                           (    ) tempo

i) Não escreva  depressa.

   ( X ) negação             ( X ) modo                             (     ) dúvida

j) Ouviam-se os sinos dobrarem  ao longe.

   (   ) tempo                 ( X ) lugar                     (    ) modo

k) Lutei  bastante  para conseguir o que eu tenho.

   ( X ) intensidade                 (   )  tempo                            (   )  modo

8) Destacamos o adjunto adverbial. Informe a sua constituição marcando:

( 1 ) se for advérbio                       ( 2 ) se for locução adverbial
a) A vida não espera. (1)

b) O operário levantou o muro rapidamente. (1)

c) De repente as lágrimas cessaram. (2)

d) As borboletas voavam em bandos. (2)

e) Atualmente as mulheres reivindicam seus direitos. (1)

f) Os manifestantes gritavam em coro. (2)

9)  Sublinhe com um traço os adjuntos adnominais e com dois traços os adjuntos adverbiais:

a) O novo presidente assumiu em março.

b) Frequentemente ela fugia de seus problemas.

c) O  soldado fuzilou  o  condenado com frieza.

d) O  escritor descreveu a  cena com detalhes.

e) O povo põe de lado    a sua dor.

10)  Copie as frases, eliminando os adjuntos adnominais e os adjuntos adverbiais:'

a) Os ladrões arrombaram o cofre com facilidade.

    Ladrões arrombaram cofre.

b)A distração com frequência resulta em sérios acidentes.

   Distração resulta em acidentes.

c) Os nordestinos sempre lutaram contra a seca.

    Nordestinos lutaram.

d) Hoje as doenças preocupam as autoridades médicas.

    Doenças preocupam autoridades.

11. Classifique os adjuntos adverbiais em destaque quanto à circunstância":

(1)adjunto adverbial de tempo (Quando?)

(2)adjunto adverbial de lugar (Onde?)

(3)adjunto adverbial de modo (Como?)

a) Ele premeditou o crime em detalhes. (3)

b)A firma preencheu a vaga na semana passada. (1)

c)O líder encabeçou a revolta com coragem. (3)

d) O preso denunciou os comparsas durante o interrogatório. (1)

e) O trabalhador caiu do andaime. (2)

f) Nesta sala, vocês podem conversar à vontade. (2) (3)

g) Todos ficaram em seus lugares. (2)

h) Amanhã, todos deverão comparecer cedo   ao colégio. (1 ) (1) (2)
12 . Substitua as locuções adverbiais pelos advérbios correspondentes, conforme o modelo:

      Ela cantava e tocava ao mesmo tempo.
     Ela cantava e tocava simultaneamente.

a) Ele conseguiu falar durante uma hora sem interrupção.

   Ele conseguiu falar durante uma hora ininterruptamente.

b) O jogador praticou a falta com premeditação.

    O jogador praticou a falta premeditadamente.

c) Pouco a pouco foi consolidando a sua posição no grupo.

   Paulatinamente foi consolidando a sua posição no grupo.

13. Analise a função dos termos destacados, conforme o código:

(1) adjunto adnominal
(2) objeto direto
(3) objeto indireto
(4) adjunto adverbial

a) A porta do carro ( 1 ) está aberta.

b) Precisamos do carro (3) para a viagem de amanhã.

c) Desça do carro, (4) menina.

d) A empresa tinha de substituir o carro (2) por um mais novo.

14. Indique a função dos termos destacados, conforme o código:

(1) adjunto adverbial
(2) adjunto adnominal
(3) objeto indireto

a) Guardava com carinho ( 1 ) os livros.
b) Este rapaz necessita de emprego. (3)
c) No céu (1) voavam velozes andorinhas.
d) Um homem de brio (2 ) paga as suas dívidas pontualmente. (1 )
e) A sala de aula (2) estava vazia.
f) Não ( 1 ) duvidei de você. (3)
g) Houve inúmeros festejos durante o carnaval. ( 1 )
h) As questões de matemática (2 ) eram difíceis.
i) Olavo desceu apressadamente (1 ) a escada.
j) Você respondeu ao professor ? (3)